Tempo seco agrava dermatites alérgicas nos animais


Inverno exige cuidados especiais com pele e pelos de cães e gatos.

Normalmente, as dermatites alérgicas em cães e gatos, em que o principal sintoma é a coceira, são bastante agravadas no inverno. Nessa época do ano, a pele dos animais tende a ficar mais seca. “Além de o clima estar mais seco e a pele perder mais água para o meio ambiente, banhos quentes potencializam a secura e descamação, e a coceira aumenta ainda mais”, comenta Dr. Marcos Fernandes, veterinário homeopata.

Como prevenção, durante os dias mais frios do ano são necessários cuidados especiais com o banho. “É preciso estar atento à temperatura da água e evitar que esteja muito quente ou muito fria”, sugere o veterinário. “Secar adequadamente os pelos e evitar variações bruscas de temperatura são cuidados importantes. A escolha correta do produto de higienização também é fundamental para a saúde do animal”.

Por que os cachorros ficam fedidos quando estão molhados?

(Foto: Reprodução / Google)

Especialistas revelam o motivo desse odor desagradável.

Provavelmente você já sentiu um cheirinho desagradável vindo de seu cachorro depois dele brincar na chuva. Nós amamos nossos cães, mas sabemos como eles ficam fedidos quando estão molhados.
Químicos da American Chemical Society revelaram que esse odor acontece por causa de microorganismos que vivem nos pelos dos cachorros, que incluem bactérias. E esses organismos excretam “componentes fedorentos voláteis”.

Mas, se esses componentes estão sempre sendo produzidos pelos cães, por que só sentimos o cheiro ruim quando eles estão molhados?
De acordo com os especialistas, quando o cachorro fica molhado, a água faz com que essas moléculas orgânicas voláteis se desloquem da superfície do cão para os pelos, permitindo que nosso nariz sinta esse cheiro.
Fonte: Daily Mail UK

Escrito por Karina Sakita
Fonte: http://portaldodog.com.br/cachorros/curiosidades/por-que-os-cachorros-ficam-fedidos-quando-estao-molhados/

Estudo relaciona crianças que crescem com gatos à esquizofrenia


É o terceiro estudo do tipo com os mesmos resultados.
Pesquisadores pedem que mais pesquisas sejam feitas para provar ligação.

Estudo relaciona crianças que crescem com gatos à esquizofreniaUm estudo publicado pela revista científica "Schizophrenia Research" aponta uma ligação - já antes testada - entre crianças que crescem em famílias com gatos e o desenvolvimento da esquizofrenia.

Segundo o resumo do trabalho [que pode ser encontrado no site da revista, em inglês], dois estudos anteriores já sugeriam que a convivência de crianças com gatos seria um possível fator de risco para o desenvolvimento posterior da esquizofrenia ou outro transtorno mental grave.

Os três pesquisadores testaram novamente a hipótese e chegaram aos mesmos resultados, sugerindo que a convivência de crianças com gatos é significativamente mais comum em famílias nas quais as crianças desenvolvem doenças mentais graves. Os pesquisadores alertam que a explicação pode ser a presença do parasita Toxoplasma gondii e pedem que mais pesquisas sejam feitas para comprovar os riscos.

De acordo com o site "Huffington Post", o estudo descobriu que 50,6% das pessoas que desenvolveram esquizofrenia tinham gatos na infância - ainda de acordo com o site, o resultado é bem similar aos achados em estudos de 1990 (50,9% e 51,9%).
Fonte: Globo

Fonte: http://www.saudeanimal.com.br/noticia_0539.htm

Inverno traz diferentes espécies de animais para o litoral fluminense

Rio - O inverno começa hoje, oficialmente às 13h38, e, com a estação mais fria do ano, é aberta a temporada de espetáculos de animais marinhos e aves do mundo inteiro, que chegam em grupos ao litoral do Rio e por ficam pelo menos até novembro. Eles dão shows à parte na natureza, com suas simpáticas aparições, seja no mar, nas areias das praias ou no céu.


Os visitantes mais apressadinhos já deram as caras na semana passada: um casal de pinguins,
resgatado por bombeiros em São Conrado, na Barra, e duas baleias Jubarte, filmadas num ‘ensaio’ de saltos acrobáticos na mesma região.