Cuidados de gatos

Como animal de estimação, o gato depende das pessoas para os cuidados e alimentação. Por isso, devemos estar especialmente atentos a eles. É possível obter informação sobre os cuidados que se têm em livros especializados, nesta matéria, perguntando aos veterinários ou sociedades de protecção de animais. No seguinte artigo colocamos ao dispor uma serie de recomendações para ter em conta na altura de ter de cuidar dos seus gatos.

Cuidados gerais:
Apesar de os gatos terem a reputação de serem independentes, os seus danos devem dar-lhes muito afecto e atenção. Uma alimentação diária e equilibrada, como é constituída os alimentos para gatos, permitem-lhes viver muito mais tempo num estado muito saudável. A disponibilização de água fresca é indispensável. Uma higiene perfeita do caixote de areia previne qualquer tipo de doenças. Alias, muitos gatos negam-se a utilizar um caixote sujo.
As unhas dos gatos devem estar curtas. Para evitar muitas dores, os gatos que vivem em apartamentos devem ter algo para arranhar. Os gatos lambem-se para se limpar e geralmente retiram pêlos mortos. Por isso, devemos escová-los regularmente, pelo menos uma vez por semana. Assim eliminaremos o pêlo morto e evitaremos a formação futura de bolas de pêlo no estômago.

Asseio do gato:
Geralmente, os gatos de pêlo curto têm uma pelagem muito mais simples de manter do que os gatos de pêlo comprido. Para os gatos de pêlo curto, basta escovar uma ou duas vezes por semana, para manter a sua pele limpa, brilhante, saudável e eliminar também a pelagem morta. Certas raças, cujo pêlo é particularmente proporcionado, como o Manx ou o British Shorthair, pedem mais rigor e atenção

Em primeiro lugar, vai-te ser necessária uma escova metálica, um pente fino, uma escova suave, uma loção e um pedaço de camurça para obter melhores resultados. Por razões de higiene, é preferível passá-lo a escovar fora de casa, para evitar que haja parasitas, pêlos ou poeira que fiquem no interior. A maioria dos gatos aprecia o asseio. Consideram essas acções como marcas de afecção e carícias.



Os gatos e as crianças:
Muitos pensam que os gatos e as crianças são como cães e gatos. Há pais que têm medo de arranhões, mordidelas, … Pois isso está errado: os gatos gostam mais das crianças do que dos adultos e não lhes fazem mal a não ser que a criança lhes façam muito mal. Os gatos podem chegar a ser muito pacientes com as crianças. Devemos ter muita atenção com as crianças. Devemos conseguir fazer com que as crianças aprendam a interagir com o gato com doçura e não com hostilidade. Se o conseguirmos, o gato e a criança serão excelentes amigos.

Antes de proceder às apresentações gato-criança, explica à criança que o gato é um ser vivo a quem tem de tratar bem. Diz-lhe que deve cuidar dele como a outro membro da família. Avisa que é um animal que não gosta de ruídos altos nem os movimentos bruscos e verás como o gato e a criança se tornam bons amigos.

Os brinquedos:
Quando os gatos brincam, desenvolvem atributos para a caça. Cada brinquedo converte-se na sua presa. Incentivando o gato regularmente para jogar, o ajudarás a manter a sua forma física e psicológica. E o brinquedo é, claro, o melhor antídoto para o aborrecimento. Os gatinhos e os gatos, tal como as crianças, estão cheios de imaginação e percebem rapidamente o potencial brinquedo escondido em cada objecto.

Fonte: http://gatos.mundoentrepatas.com/cuidados-gatos.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário